Contate-nos: +55 11 2824-5100 - contato@astrein.com.br

CTEEP

Central de Cadastro

CTEEP – Centralização de Operação Logística de 13 almoxarifados em 1

Como a Qualidade de dados em Compras e Planejamento garantem a Redução de custos, Conformidade e Otimização de estoques

A Cteep, empresa do Grupo ISA, com mais 15 anos atuando no ramo de transmissão de energia elétrica no Brasil, é uma das principais concessionárias privadas do país, presente em 16 estados brasileiros e responsável por aproximadamente 25% da energia total produzida, desenvolveu o projeto para otimizar seus serviços e reduzir custos com estoque, através da unificação de seus 13 almoxarifados em um Único Central.

O projeto teve início em 2009 com o primeiro estágio onde criou-se um Centro de distribuição em Bauru e 12 almoxarifados, sendo eles Assis, Itapetininga, Jupiá, Presidente Prudente, Votuporanga, Cabreúva, Santa Bárbara d´Oeste, Mococa, Taubaté, Santo Ângelo, Cubatão e São Paulo Capital.

Como atividades principais, houve a estruturação do centro de distribuição, a transferência do excesso de estoques, a transformação dos almoxarifados de nível 2 para estoques de prontidão e estruturou-se as reposições de estoques a partir de Bauru.

Como pré-requisito para este projeto surgiu à necessidade de se padronizar todas as descrições dos itens, a fim de conseguir identificar precisamente quais itens existiam em cada almoxarifado, para posteriormente unificá-los. Para isso contratou a Astrein – empresa especializada em soluções e software para padronização e central de cadastro, a fim de criar um cadastro de materiais e serviços centralizado, padronizado, com descrições técnicas inequívocas a fim de identificar cada item em estoque e permitir sua unificação, aprimorar as compras internas da empresa, além de também atender às exigências de conformidade da Aneel através codificação dos mesmos de acordo com o Manual de Controle Patrimonial do Setor Elétrico (MCPSE).

Em 2010, foi realizado o segundo estágio, onde se reduziu de 12 para 4 almoxarifados sendo eles em Jupiá, Cabreúva, Taubaté e São Paulo/Capital, onde as atividades realizadas foram, a transformação dos almoxarifados de nível 1 em “Estoques de Prontidão” e o de São Paulo/Capital em almoxarifado de nível 2, fechando assim em 2011 o terceiro estágio de Um por Um – Um centro de Distribuição em Bauru e um Almoxarifado em São Paulo/Capital.

Segundo Enzo Brigante, Gerente de Suprimentos e responsável pelo projeto atingidos pela equipe do projeto, “dentre os objetivos da centralização dos almoxarifados, consideramos a importância de se ter um estoque equilibrado, onde não faltasse material e nem houvesse capital comprometido em excesso, nem materiais duplicados e obsoletos. A falta de disponibilidade de materiais pode rapidamente adicionar 10% a 25% nos custos de trabalho extra. Já o inverso, o capital empenhado em excesso e materiais duplicados e obsoletos podem representar de 20% a 30% do gasto anual MRO. Assim, buscamos reduzir os custos de estoque, atendendo às normas da Aneel, aumentando a visibilidade da Engenharia a fim de utilizarem itens em estoque e, simultaneamente, reduzir o volume de compras de novas peças”.

 A Cteep atualmente possui um projeto estratégico multidepartamental de governança de estoques que tem por objetivo:

  • Precisão na identificação dos materiais em toda a cadeia de abastecimento;
  • Minimizar erros operacionais, não-conformidades e devoluções;
  • Redução dos valores contratados, através de compras agregadas de diversas regionais e da ampliação da base de fornecedores;
  • Redução dos custos do processo de compras;
  • Redução dos materiais comerciais comprados como específicos;
  • Melhoria do processo de pesquisa, comparação e requisição de materiais;
  • Normalização das especificações de materiais;
  • Melhorar a rastreabilidade na cadeia de abastecimento;
  • Implantação de Banco de preços;
  • Melhorar a acurácia das informações.

Dentre os benefícios atingidos e previstos para este projeto:

  • Redução do valor total em estoque em R$ 16,7 milhões,
  • Aumento na sinergia entre as áreas e conscientização da utilização do estoque,
  • Concepção dos projetos observando e utilizando materiais e equipamentos existentes em estoque,
  • Melhoria na categorização dos itens e gestão dos materiais,
  • Conformidade das descrições a fim de atender ao Manual de Controle Patrimonial do Setor Elétrico da Aneel (MCPSE),
  • Aumento da acurácia do inventário contábil.

Segundo Enzo Brigante, coordenador do comitê de suprimentos da FUNCOGE, “o setor elétrico oferece grandes oportunidades de ganhos através da gestão de estoques das empresas do setor elétrico. Uma das iniciativas deste comitê da FUNCOGE foi a criação da Bolsa de Equipamentos e Materiais (BEM) com objetivo de facilitar as empresas disponibilizar seus ativos em excesso para permitir que outras empresas conheçam equipamentos e materiais disponíveis no setor para aquisição ou troca. Esta sinergia entre empresas poderá contribuir de maneira significativa para a redução do estoque e dos custos com compras”. O próximo passo para aprimorar esta sinergia, para melhorar a gestão e administração dos materiais, criação de indicadores e métricas do setor é a busca da linguagem comum através da padronização dos itens entre as empresas, agilizando a possibilidade de correlacionar dados entre as empresas.

  • Cliente CTEEP
  • Data 9 de November de 2016
  • Tags Case Cadastros, Cases, Soluções
Back to Top