Redução de estoques pode contribuir para qualidade e eficiência

 

Hand truck with boxesAs novas filosofias gerenciais indicam que, para uma empresa obter elevados níveis de desempenho em termos de qualidade ou eficiência, é preciso reduzir os estoques. “Eles trazem uma série de complicações, sendo a principal o fato de ocultarem problemas. Como há estoques de vários tipos, a empresa não tem urgência em resolver as dificuldades. Esta é uma das ideias fundamentais de filosofia da Lean Production, surgida no Japão, na indústria automotiva, e que se disseminou por muitos países e setores”, afirma Carlos Torres Formoso, professor e pesquisador do NORIE-UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Ao estocar, a construtora está imobilizando capital. “Isto é um erro estratégico. É um dos problemas decorrentes dos estoques. O capital fica parado, sem trazer ganhos à empresa. Mas há outros: estoques ocupam espaço, resultam em deterioração de produtos e podem ser objeto de roubo ou vandalismo. Porém, o mais importante é que estoques escondem problemas. Existem vários tipos de estoques: de materiais, de produto inacabado – também conhecido como trabalho em progresso – e de produtos acabados. Estes dois últimos são ainda piores que estoques de matérias-primas, pois são mais valiosos e podem mais rapidamente se tornar obsoletos”, explica Formoso.

De acordo com o professor, sempre é necessário fazer algum tipo de estoque, mas estes devem ser cuidadosamente dimensionados e, ao longo do tempo, reduzidos através de um esforço contínuo de implementação de melhorias. “Alguns materiais de construção podem se deteriorar mais rapidamente como o cimento, o que traz um problema adicional. Outros são muito caros, como um elevador desmontado. E há ainda alguns que são muito volumosos e pesados como tijolos e blocos, o que dificulta sua manipulação”, diz o pesquisador.

A vantagem principal de estocar, segundo Formoso, é que permite conviver com a variabilidade, ao invés de removê-la, tais como fornecedores pouco confiáveis, materiais defeituosos, incerteza quanto às atividades a executar, mudanças repentinas nos planos, entre outras. “É importante tornar as entregas confiáveis através do estabelecimento de relações de parceria com os fornecedores. Entretanto, para que as entregas confiáveis tragam benefícios, é fundamental que a execução da obra também seja segura. Além de reduzir atrasos, é essencial planejar as operações de descarga para torná-las eficientes e corretas”, ressalta.

Como o canteiro de obras é um local conturbado, úmido e apresenta riscos à integridade de produtos, é necessário que o planejamento preveja espaços adequados para estocagem, inclusive estabelecendo cuidados especiais com materiais frágeis ou de elevado valor. “Sempre que possível, deve-se estocar os materiais o mais próximo possível dos equipamentos de transporte – grua e elevador – ou do local de aplicação como no caso de elementos pré-fabricados”, comenta o professor.

Neste momento da economia brasileira em que a inflação incomoda, as empresas do setor acabam cogitando em aumentar os estoques. “A inflação é um estímulo à estocagem, por razões óbvias. É mais um efeito nocivo da inflação, principalmente, se alcança dois ou três dígitos, como em passado recente”, diz o pesquisador.

Fonte: Construcompras (Redação AECweb / e-Construmarket)
Link:http://www.aecweb.com.br/cont/m/cc/reducao-de-estoques-pode-contribuir-para-qualidade-e-eficiencia_8943